M Oh! Comunicação

A câmera está focada próxima ao rosto de uma mulher. Ela começa a cantar, ela canta dizendo que gostaria de comprar uma casa para o mundo e pintá-la com o amor. A câmera se afasta e ela não está sozinha, está em um campo com dezenas de pessoas, todas começam a cantar que gostariam de cantar unidos com o mundo inteiro. A câmera vai passando por cada pessoa, são pessoas diversas, de todos os lugares do mundo, todas estão com uma Coca-Cola na mão, elas dizem que gostariam de comprar uma Coca para o mundo inteiro e ficar em sua companhia, dizendo “that’s the real thing” (é isso que importa). 

Esse fantástico comercial termina com um texto dizendo que jovens do mundo inteiro se reuniram para trazer essa mensagem diretamente das garrafas de Coca-Cola para o mundo. Fala sério, isso é perfeito!

Essa propaganda foi o maior sucesso da década de 70 e até hoje é considerada por muitos como o “melhor comercial já feito”. Vamos entender a razão disso nesse texto e como algo pode ser ao mesmo tempo tão popular, premiado e reverenciado. 

Em janeiro de 1971, Bill Backer, diretor de criação da conta da Coca-Cola, foi para Londres encontrar com dois músicos, Roger Cook e Roger Greenway e com o diretor de música da Coca, Bill Davis, essa reunião tinha como objetivo criar dois comerciais musicais de rádio para a Coca-Cola. Porém, durante a viagem de Backer, o excesso de neblina forçou seu avião a pousar na Irlanda, atrasando assim sua chegada em Londres. No café do aeroporto Backer reparou pessoas que antes ficaram irritadas com a parada do avião rindo e contando histórias, todos com uma garrafa de Coca na mão. 

Naquele momento, Backer pensou na bebida como um símbolo de união das pessoas para celebrar, algo que já era clichê na época e hoje é ainda mais, mas que a forma que isso foi feito mudou tudo. Assim que chegou em Londres, Backer contou sobre a forma que viu a Coca-Cola, como algo que não era simplesmente tomar um refrigerante, mas como “vamos manter a companhia um do outro” e disse que eles podiam fazer um comercial sobre isso, sobre comprar uma Coca para todas as pessoas e assim, celebrar a companhia. 

Porém, Davis não gostou tanto da ideia, dizendo que se pudesse comprar algo para todas as pessoas do mundo definitivamente não seria uma Coca-Cola, Backer então perguntou para ele “O que você faria então?” ele respondeu “Eu primeiramente compraria uma casa e compartilharia com eles paz e amor.” Backer gostou da ideia e começaram a escrever sobre isso. Assim surgiu a ideia de um dos melhores comerciais já feitos.

Agora, te convidamos a analisar todo o comercial sob a ótica do marketing. O comercial por si é uma comunicação para aumentar as vendas de determinado produto, no caso, a Coca-Cola. Entretanto, sua linguagem soube utilizar dos movimentos sociais que dominavam o mundo naquela época para conquistar a atenção dos consumidores. A música começa dizendo: ‘Eu gostaria de comprar uma casa para todas as pessoas do mundo”, uma pauta que ressalta um dos artigos dos direitos humanos, onde diz que todas as pessoas do mundo têm direito a uma casa. 

Na sequência, outro trecho diz: “Eu gostaria de cantar com o mundo todo em harmonia”, uma harmonia que só pode ser conquistada com paz e amor, com o fim da ameaça de guerras, de preconceitos, racismo e violência, outra pauta pertinente às constantes discussões da época.

No fim, o comercial apresenta o seu ponto final, colocando a cereja no bolo, dizendo: “Eu gostaria de comprar uma Coca-Cola para o mundo inteiro e juntos, compartilhando a companhia de todos”, novamente reforçando o quanto a conexão, união e amor são importantes.

A Coca-Cola chegou a receber mais de 100.00 cartas de pessoas falando sobre esse filme de 1 minuto, que conquistou todos os lugares que esse comercial alcançou, resultando em milhares de vendas, prêmios e até uma versão nova da música para rádio. Por que tudo isso?

O segredo do comercial foi a humanização. Aproximar a marca dos assuntos da atualidade, mostrar diferentes pessoas para trazer representatividade e assim criar conexão com toda a audiência mundial em um único vídeo de 1min. Detalhando assim parece até impossível né? Mas foi isso que a Coca-Cola fez em 1971.

Agora, pense em tudo o que podemos fazer com a nossa marca hoje, com infinitamente mais recursos e cada vez mais proximidade com a nossa audiência.

Tudo o que precisamos é entender bem cada pessoa que consome a nossa marca e encontrar novas maneiras de nos aproximar (marca+audiência), sempre.

Esse comercial é lembrado até hoje e provavelmente sempre será lembrado como o exemplo do que deve ser feito. That ‘s the real thing!